MÃE!!!

MÃE!!!
Ela era uma Rosa

A vida não pára!

Paciência

Lenine

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para...

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para não...

Será que é tempo
Que lhe falta para perceber?
Será que temos esse tempo
Para perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para
A vida não para...

A vida não para...

http://www.youtube.com/watch?v=sXmWAOIWg3w


















Páginas

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

ROSA DELBONI RODEGUERO

É minha mãe.
Minha primeira professora. Comprava coleções de livros prá mim, quando eu era criança e mocinha.
Nunca ficou brava quando eu ficava o dia todo lendo. Houve semanas na minha adolescência em q eu lia 4 ou 5 livros. Ela me mostrou a beleza de Francisco Marins e Monteiro Lobato, além de Júlio Verne.
Ela me ensinou as primeiras letras (não, eu não fiz pré primário) e me incentivou a escrever. Graças a ela tive milhões de pequenas poesias e contos publicados em jornais como "O Progresso", "O Município", ambos extintos, e "A Candeia", da cidade de Bariri, onde moramos por quatro anos.
Sempre me deu idéias para redações dos vestibulares e concursos q prestei.
Sempre leu muito, e adora palavras cruzadas.
Minha mãe, no mundo a gente só tem mãe. Eu sempre falo isso porque há coisas q só você faz por mim. Mais ninguém, nem q eu pague.
Mãe é mãe... Beijos, dona Rosa querida. Eu te amo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário